domingo, 28 de junho de 2009

Fogos exigem cuidados de donos de animais

Explosão de fogos de artifício pode provocar surdez e até a morte dos pets.

Os animais de estimação e alguns animais mais frágeis, como pássaros e animais silvestres, chegam a morrer em razão dos fogos. O pânico das explosões também causa paradas cardiorrespiratórias, perdas auditivas e surdez. Outros animais chegam a sofrer alterações de seu ciclo reprodutivo e há histórico de animais que, pelo trauma, mudam de comportamento para sempre. Como os animais têm a audição muito mais acurada que a das pessoas, sentem muito mais que nós.

Os donos devem ficar sempre junto de seus pets quando explosões ocorrerem. Os animais naturalmente se sentem mais seguros junto de seus donos que devem passar ao seu animal tranquilidade e a sensação de que tudo está bem e sob controle. Mas, se por algum motivo tiverem que deixá-lo(s) sozinho(s), procurem por um lugar da casa que seja mais arejado, afastado do barulho, sem riscos ou objetos perigosos que possam machucá-los. Alguns cães e gatos podem ficar agressivos quando nervosos por isso devem separá-los em cômodos diferentes para que não haja brigas no momento das explosões. Isso também vale para quem tem mais que um cão ou gato.

Os animais que vivem acorrentados devem ser soltos pois grande o número de fugas e o consequente desaparecimento do animal. E além de soltos devem ser levados para lugar seguro, pois eles correm risco de enforcamento. Já soube de cães que amanheceram mortos, enforcados com a própria corrente após uma noite de importante campeonato de futebol(clássicos e decisões), Copa do Mundo, comemorações, festas juninas.

Outra forma de ajudar seu pet é, um pouco antes do evento, lavá-lo para perto da TV ou de um aparelho de som e aumentar aos poucos o volume, de tal forma que ele se distraia e se acostume com um som alto. Assim, não ficará tão assustado com o barulho intenso e inesperado dos fogos. Remédios para acalmá-lo também são recomendados. Prefira os fitoterápicos, que praticamente não têm contra-indicações, mas consulte sempre o veterinário para a melhor opção.

E mais uma novidade também acaba de aparecer para ajudar os animais em noites barulhentas. É um tipo de algodão parafinado que é feito em farmácias de manipulação e fica moldado no ouvido para proteger do barulho. Como o material deve ser feito sob prescrição veterinária, é importante que os sonos fiquem ligados nessas comemorações e providenciem o algodão parafinado com antecedência mantendo sempre uma reserva em casa. Afinal isso não é caro e pode custar a vida de um animal.

A Administradora

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Crianças e os animais de estimação

Ensine seu filho a tratar o animal de estimação com respeito para garantir uma convivência feliz.

Os bichos de estimação são um excelente estímulo para as crianças, não há dúvida. Costumam ser fiéis e companheiros além de ensinarem com a convivência que: "o direito de cada um termina quando começa o do outro."

Por isso sua companhia é uma ajuda valiosa que os pais devem aproveitar na educação de seus filhos, ao ensinarem por exemplo o respeito para com os outros (quaisquer outros, humanos ou animais) e os valores básicos que vão garantir à criança uma vida social equilibrada e estável.

Fatores importantes do caráter de uma criança podem ser ensinados ou reforçados com a convivência com um animal tais como o amor, a paciência, o perdão, a humildade, a alegria, a simplicidade e ainda muitos outros... Por isso, quanto mais cedo a criança tiver contato com animais, melhor será para ela.

Pais e educadores nunca devem esquecer que deverão dar o exemplo. Pais que amendrontam seus filhos com animais ("pare de chorar ou o cachorro vai te pegar!", etc.), ou os tratam de forma desrespeitosa, estarão formando crianças desequilibradas e antisociais. Não esqueçam que assim como os animais que sempre dão o exemplo, os pais deverão agir da mesma forma, pois crianças estão sempre atentas às reações dos seres ao seu redor, em seu ambiente e que interagem com ela.

A seguir, alguns conselhos úteis para uma boa convivência:

- Antes de adquirir um animal, se possível, pesquise sobre a raça e sua procedência. Alguns cães, por exemplo, são menos pacientes por natureza ou podem ter tido alguma experiência negativa no passado que poderá comprometer o seu comportamento equilibrado;
- Garanta a saúde de seu animal (boa ração, vacinas, vermífugos, livre de parasitas, unhas cortadas), pois como já foi dito, um animal saudável poderá conviver com sua família sem maiores problemas;
- Se o animal já fazia parte da família antes da criança nascer, “apresente” o bebê logo nos primeiros dias para evitar ciúme. Deixe que ele cheire a criança e, assim, entenda que ela é mais um membro da casa. Não fique com medo de "contaminar" a criança. Saiba que nós humanos podemos contaminar muito mais os animais com nossas doenças, que eles a nós;
- No início do relacionamento, NUNCA deixe uma criança sozinha com qualquer animal. Os pais deverão sempre supervisionar esse relacionamento, orientando a criança e observando o animal;
- Ensine seu filho a tratar o animal com respeito. Por isso, não deixe que elas batam no animal, arranquem seus pêlos nas brincadeiras ou que o interrompam durante as refeições. Isso não é "uma gracinha", é coisa séria e falta de respeito para com o outro;
- Jamais permita brincadeiras cruéis como puxões no rabo e nas orelhas, dedos nos olhos, beliscões, etc. Além de merecer corretivo, essas atitudes poderão acarretar uma reação do animal que revidando ou se defendendo poderá ferir a criança;
- Mesmo que o seu animal seja dócil, convém supervisionar as brincadeiras quando as crianças estiverem por perto até que a amizade e o entendimento entre eles já esteja consolidado.

Crianças e animais costumam ser grandes parceiros na vida. Boa sorte!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Alice Responde 1

Bem aqui estão algumas perguntas que Alice recebeu e responde agora. Obrigada por participar, e qualquer dúvida que tenha, pergunte à Alice!

1) Alice, tenho um cocker de 14 anos que é completamente cego. Trabalho o dia inteiro e ele fica sozinho. Tenho medo que se machuque andando pela casa. Alguma dica? Ficaria muito grata. Por favor, responda. Parabéns pelo blog e pelas dicas. Bjs Mariana.
Alice: Oi Mariana, aqui vai uma dica para você. Espero que ajude. Bem, pegue um perfume bem forte e fedorento, ou aquele que ele não gosta e coloque numa garrafinha de spray. Antes de sair, você espirra o spray nos lugares que considera perigosos para ele na sua casa. Ex: pontas de móveis, fios, vidros, etc. Ele vai se guiar pelo cheiro, e vai evitar com certeza chegar perto desses lugares. Você até poderá fazer isso mesmo quando estiver em casa, pois ele ficará mais à vontade e se sentirá mais independente e você ficará mais tranquila.
Obs: Essa dica também serve para donos que têm que deixar cães arteiros ou filhotes em casa sozinhos. Isso afastará esses arteiros e filhotes de lugares perigosos e/ou proibidos. Parabéns pela participação e volte sempre!

2) Olá Alice, sou do Rio e gostaria de fazer algumas perguntas. Gostaria muito de conviver com um Pug, mas gostaria também de que nem ele nem eu tenhamos problemas. Então se você puder ajudar, seguem as dúvidas:
. Durante a semana moro em um apto bem pequeno e durante o final de semana fico numa casa de praia. Um pug teria problemas com isso?
Alice: Como vai? Sobre essa primeira pergunta, fique tranquila que pugs se adaptam facilmente a diversos ambientes. Não temos problema nenhum com isso pois vivemos bem em apartamentos e adoramos casas de praia ou de campo nos fins de semana. Viajamos bem de carro, desde que você acostume seu Pug desde pequeno. Só tenha cuidado com praias por causa do calor. Temos focinho achatado e respiramos muito rápido, por isso também somos muito sensíveis aos excessos de temperatura. Mas o calor nos afeta mais pois podemos desidratar com facilidade. Para você ficar livre de qualquer problema, leve sempre uma garrafinha com água para que seu amigo possa beber e se refrescar. Num post mais antigo, a Administradora fala sobre a minha garrafinha, a Pet Drink que é uma super dica para você.

. Durante a semana, ele ficaria sozinho durante o dia, tudo bem pra ele?
Alice: Tudo bem também! Mas seria bom você reforçar isso quando for escolher seu amiguinho. O criador vai saber lhe encaminhar aquele Pug mais calminho. Nunca tive problema em ficar sozinha durante o dia. E no princípio, eu ficava na cozinha, pois os Administradores ficavam com medo que eu aprontasse alguma, era pequenininha, poderia até me machucar. Enquanto seu amiguinho for filhotinho e você tiver que deixá-lo sozinho, deve restringir seu espaço, deixando-o num lugar seguro (sem tomadas, coisas pontudas ou perigosas) com uma caminha bem confortável, perto do seu lugar de fazer xixi/coco, muitos brinquedos e bastante água. Outra fator que vai lhe ajudar é que além de latir muito pouco, apenas o necessário, nosso latido é baixo e meio abafado. Por isso não chega a incomodar os vizinhos. 

. Eventualmente viajamos, ele sentiria muito em ficar em um hotel para cachorro sem a nossa presença?
Alice: Êpa, mais um ponto para nós, os Pugs! Ficamos sem problemas, pois somos muito sociáveis e gostamos de novidades. Adoramos gente nova e outros cães, além de, como já disse, nos adaptarmos facilmente a diferentes ambientes. Mas você só poderá fazer isso quando seu amiguinho já for adulto. Enquanto ele for filhote, você não deverá deixá-lo num hotel pois ainda precisará muito do seu ambiente e da sua companhia. Já que você mora no Rio, aqui vai uma sugestão de um excelente hotel para cães. É o Bon Voyage Hotel Para Cães (http://www.hotelbonvoyage.com.br/). Lá é tudo de bom!

. Sou bem alérgica. Convivi com um fox paulistinha durante 12 anos e nunca tive problemas, mas a minha mãe tem uma poodle e perto dela espirro sem parar. Você sabe alguma coisa pugs causarem essa reação?
Alice: Bem aí temos um problema pois os Pugs são um tipo de raça que solta muito pêlo e dependendo da época do ano, soltam ainda mais. Você verá pêlos espalhados em toda sua casa, no carro, na sua roupa etc. Se você não suporta conviver com pêlos e se sente incomodada com isso ou isso lhe traz algum problema, o Pug não é para você. Mas, nem tudo está perdido não, existe ainda uma solução. Dependendo da ração que você der para ele, isso pode ser resolvido ou bem minimizado. Aqui em casa os Administradores passaram a me oferecer a ração Eukanuba, pois o vet disse que ela possui óleo de peixe que contém ômega 3 e 6 e melhora muito as condições da pele e dos pêlos. Desde que comecei a comer a ração Eukanuba (que eu adoro) meu pelo deixou de cair como antes. Agora estou até mais cheinha com um pêlo macio e de fácil manutenção. A casa ficou limpa e as duas crianças que moram comigo pararam de espirrar. Mas também lhe recomendo que procure se aconselhar com um criador (pois a linhagem do Pug também interfere nesse problema do pêlo) e um vet de confiança.    

. E por fim, pugs filhotes também róem móveis e destróem mobílias enquanto está sozinho?
Alice: De uma forma geral, absolutamente não, sabe por que? Porque nossa cara achatada e feitio de mandíbula dificulta esse tipo de brincadeira desagradável. Também existem Pugs e Pugs, uns como eu que nem ligam para pernas de cadeiras e mesas, mas outros mais nervosos que são mais arteiros. Procure conversar com um criador para escolher um bom Pug (leia as dicas da Administradora num post anterior). Mas mesmo aqueles mais arteiros que eventualmente possam gostar desse tipo de brincadeira, não poderão causar muito prejuízo por causa do feitio de sua mandíbula e mordedura que dificulta e dá canseira. Espero ter lhe ajudado e pergunte sempre que quiser, estou às ordens e adoro responder.
Alice

Bom, muito obrigada pela sua atenção e adorei o seu blog!
Beijos,
Lu